terça-feira, 7 de abril de 2015

Labirinto: A entrada é a mesma que a saída

Há quanto tempo eu durmo e sinto que mundo está acordado? Penso o que mudou em mim, se já é passado. A mudança é contínua. Pode ser causa da rotina. Era pra ser plena a essência e acaba como incenso. Acende, perfuma, apaga e fica por mais um pequeno instante no ar. Nesse momento é dúvida incessante. Onde eu fui parar? Tão longe que nem dá pra enxergar? Ainda hei de resgatar?

As ideias se transformaram em lembranças. E elas nem mesmo se tornaram reais. Se é que existe caminho, estou sempre no desvio. Sobra tempo para o desnecessário. Pouco para os momentos. Aqueles que dão sentido a tudo. Faz ficar mudo, mesmo querendo gritar.

Há quanto me mantenho hibernado, buscando cada vez mais fardo que nem quero carregar?
Pode ser apenas lei de sobrevivência, e algumas vezes confunde com experiência. É a essência que doa seu lugar. Até porque não há como encaixar. Só tem um espaço para um só pilar.

Sobreviver até o fim cheio de conta pra pagar. Ou pagar para viver cheio de coisa pra contar.
É tão estranho o caminho e o abismo andarem lado a lado. E nem poder jogar um dado pra saber por onde andar. Por acaso, o acaso não existe. É só uma máscara que queremos colocar, para enfeitar uma série de escolhas, que no fundo nem fomos obrigados a tomar.

Se enfiar num labirinto, fingindo que é infinito só pra ninguém nos achar. Mesmo sabendo onde fica a saída, um lado sempre quer ficar. É mais confortável e mais aconchegante. Melhor que o desconhecido e melhor que ter que se adaptar. Matar aos poucos a vontade de sair parece mais fácil que encarar. A recompensa desse lado é menor, mas aqui já se sabe jogar.

- Alô? Tem algúem aí fora?
- Eu só queria conversar!
- A queda pro seu lado é alta? Será que dá pra pular?
- Ou é melhor ficar aqui? É melhor não arriscar?
- Me arruma uma escada? Ou vou ter que me virar?
- Acho melhor a gente trocar. Você me diz o que tem aí, que te conto do lado de cá.
- Preciso saber se posso ir. Não aguento mais ficar!
- Estou subindo. Resolvi tentar!
- Mas... mas os dois lados são iguais.
- Agora que percebi; eu é que tenho que mudar!

3 comentários:

Mahalia Barrios disse...

Cara você é demais!

Renan Costa disse...

Obrigado! Você que é!!!

Renan Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário